sábado, 28 de fevereiro de 2015

Patrícia Arquette em Defesa dos Direitos da Mulher



Na 87ª cerimônia do Oscar,  realizada na noite do último domingo, 22 de fevereiro, no Dolby Theatre, em Hollywood, Los Angeles, Estados Unidos da América; ouviu-se o clamor da voz feminina de Patrícia Arquette, que emocionou o mundo com um magnífico discurso de agradecimento, quando venceu  o Oscar de melhor atriz coadjuvante pela atuação em "Boyhood", da Infância à Juventude, do diretor Richard Linklater.  A atriz, de 46 anos, interpretou Olivia Evans, a mãe divorciada do garoto Mason Jr.

Emocionada, Patrícia Arquette, expressou sua imensa gratidão  à família e à equipe do filme, e dedicou o Oscar à defesa da Igualdade de Gênero na América do Norte:
- "Dedico a toda mulher que já deu à luz, todo cidadão que paga impostos, nós lutamos pelos direitos de todo mundo. É nossa vez de ter salários igualitários para todos e direitos iguais para as mulheres nos Estados Unidos". 
Foi intensamente aplaudida no Dolby Theatre   e em  todo o mundo.

Patrícia Arquette ainda anunciou convicta: “quero ajudar milhares e milhares de pessoas.”
E Patrícia Arquette realmente ajudou milhares e milhares de pessoas com sua voz firme e inabalável em defesa dos direitos da mulher, em defesa dos salários iguais e de oportunidades iguais para homens e mulheres.

Atualmente, o Brasil encontra-se na 71ª  posição no ranking de Igualdade de Gênero, de acordo com os dados divulgados durante a realização do Fórum Econômico Mundial de 2014, que avaliou as diferenças entre homens e mulheres na saúde, educação, economia e indicadores políticos em 142 países.

O discurso de Patrícia Arquette repercutiu  favoravelmente entre as brasileiras, que admiraram a determinação da atriz em prol da defesa dos direitos iguais para as mulheres, às vésperas das comemorações do Dia Internacional Da Mulher.

Jam Pawlak
Fundadora e atual Presidente da Organização Neo Humanitarismo Universalista